segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Para Tati

Lendo o último (nem sei se é o útlimo, sei que é o último que eu li!) texto da Tati Bernardi me deparei com uma mulher de 30 anos solteira e noiada, tentando dizer que tá tudo bem, ela é que é esperta demais. Que ela não me entenda mal - e nem vai entender porque nem vai ler isso hahahaha - visto que eu não acredito que ela seja, de fato, assim, mas qual é? Essa historinha dos milhares de amigos homens fazendo-na crer que o homem fiel, ou o homem HOMEM, não existe, ainda cola? As mulheres ainda compram?

Isso é muito de discurso, e mais ainda de desculpa! É que nem a criança que olha o brinquedo mais legal do amiguinho e solta, levantando os ombros: "num queria mesmo. Nem funciona..." Ela está berrando isso, berrando "vocês continuarão a esperar um príncipe inexistente, e eu serei feliz por saber que vocês estão erradas. ... E solteira... E acomodada. Porque eu sou inteligente demais pro amor. Que, aliás, dura menos do que uma tosse. Obrigada". Pra mim é a mesma desculpa dos homens preguiçosos, que adoram uma conquista  e uma mulher  fáceis, e depois vem dizer que a mulher de hoje em dia é que tá difícil, viu... Num presta, num vale a pena, num quer nada com nada... tsc tsc...

Sim, eu acredito que haja mulheres que viajem no cavalo branco. Mas ela viajou mesmo foi no cão da depressão. Eu também tive milhares de amigos homens, muito mais do que mulheres. Já ouvi deles os mesmos relatos que ela, já me decepcionei com uma porção, e sempre fui desconfiada. Acho que fiz o caminho inverso da maioria: já parti do solteirona cética.  Talvez justamente por conta desses amigos homens mas, não cheguei à bobinha iludida. Cheguei aonde tinha de chegar, conhecendo  quem tinha de conhecer. E, pasme-se, o homem que insistem em desacreditar. E acho que só pra doer menos quando se chocarem com os errados.
Talvez eu seja apenas sortuda, daquelas que vêem uma coisa em um milhão, que quase ninguém mais tem a oportunidade de admirar, ou talvez concordem com ela e me achem realmente iludida e enganada, e daí eu terei que dizer, des-cul-paaaa. Mas, pra mim, isso é desculpa. Isso é coisa de mulher que ainda não achou ninguém com verdadeira disposição para amá-la.

Tati, talvez você olhe pra mim com o mesmo desprezo com que eu olho pras menininhas de 18 e solte a mesma chocarrice, pirralhice... Talvez eu cresça e, sozinha, mude de ideia. E pense, um dia, que você tinha razão, amiga. Não descarto nada nessa vida (e nem você devia). Mas, na boa, hoje, um conselho: largue dos amigos homens que são, aparentemente, uns crianções, e ache um de verdade pra chamar de seu. Há.

3 comentários:

!! Feminina e Vaidosa !!! disse...

Adorei!
Vou te falar, estou sozinha e não é por opção,ou é...nada que aparece me interessa, mas se aparecer um, to dentro.
Não dá p/dizer que a situação da solteirice será eterna.
Entendi errado?
Beijinhos, linda

Ana Paula Saltão disse...

Entendeu certinho, querida!! :)

Samantha disse...

Concordo em gênero, número e grau Ana!
Não sou uma idiotinha romântica, mas isso tbm não me faz uma mulher cética que pensa que está solteira pq homem que vale a pena não existe.
Eu gosto dos textos da Tati Bernardi, mas confesso que tbm penso que às vzs ela exagera na frieza...
Todo mundo quer amar e ser amado e isso não é sonho ou ilusão. É uma coisa muito mais simples do que a gnt pensa...acontece, dá certo, dá errado, a gente quer morrer, a gente nasce de novo em um novo olhar... essa é a vida!