sábado, 4 de junho de 2011

Socorro

A vida tem sido correr em ânsia. E uma ânsia sem nome e sem endereço. Parecida com aquela fome que você tem sem saber exatamente do que: não mata, mas também não sacia. Me pego repetindo pra mim mesma, constantemente (toda repetição é necessariamente constante?): foco, garota, foco. Mas me sinto como um cão que não vinga quando tentam adestrá-lo. Errando os mesmo erros, desobedecendo as mesmas regras, correndo quando vão corrigi-lo. E se eu corro. Seu... Corro.

Um comentário:

Jen Whately disse...

Nossa, a forma como você expressa seus sentimentos com palavra é tão intensa.

Parabéns!

http://canseideusarjeans.blogspot.com/
@jenwhately