quinta-feira, 31 de julho de 2008

Que é a vida senão uma aventura errante?

As pessoas não se cansam de me corrigir. Ou simplesmente me dizer que eu não sei como fazer determinadas coisas direito.

Desculpa, eu posso até não saber mesmo.
Mas quem foi que disse a elas que elas sabem?

Por mais experiência que elas tenham ou por mais que superestimem o que fazem, nem sempre essa segurança total de si mesmo traz algo de positivo junto. Sem querer você acaba que já não se contesta mais. Não digo que deva brigar contigo. A única pessoa com quem não brigo nem a pau é comigo!

Mas, admitam. Essas pessoas, mais do que ninguém, precisam de mim.

Precisam que eu face as coisas diferente de como elas fazem para que aprendam a apreciá-las ao invés de julgá-las indelicadamente.

Estou me sentindo assaz num comercial da coca-cola, agora. Mas é verdade. Talvez se tentássemos fugir um pouco mais dos julgamentos, as coisas seriam mais livres, e não há absolutamente nada como a liberdade. - Perguntem as pessoas que não a tem -.

Perguntem a elas, que se prendem tanto à noção de que como fazem é o certo que acabam por perder os melhores erros da vida delas: eu e minhas bobagens.

;D

Nenhum comentário: