quarta-feira, 1 de outubro de 2008

No meio do caminho tinha uma freira.

Hoje, no ônibus, tinha uma freira.
O ônibus lotou. Pessoas que iam andando preferiram entrar por causa da chuva.
O ônibus superlotou.
Mas ninguém sentou ao lado da freira.

Ela estava no corredor.
Talvez, se estivesse na janela, o assento seria ocupado no primeiro minuto.
Porque não era medo de se sentar ali, oras! Vejam bem, não estou aqui lhes dizendo que aquele hábito era uma doença contagiosa e nós meros preconceituosos mortais e, talvez por isso, tão medrosos, não quiséssemos encostar nele! - isso não existe. ;)

Acontece que alguém tinha que atrapalhar a freira se quisesse sentar.
Tirá-la dos seus devaneios - suas rezas? - e atrapalhá-la. Passar por cima, desconcentrá-la, desconcertá-la, talvez pisar em seu pé. Já pensou na tragédia? Independente de religião ou ideologia, aquela roupinha tem lá seu respeito, vai.

Eu não via muitas freiras nos tempos de meninice. E todas as que via (e já vi) eram velhas! Não sei porquê.
Não sei porque também, mas sempre que as via, quando criança, e elas olhavam direto pra mim, eu achava que elas estavam lendo, nos meus olhos, todos os meus pecados, e desviava o olhar, rapidinho! (Hoje, outras pessoas, hábitos e olhares fazem isso comigo. Mas eu não desvio mais, não! Perdi a noção do perigo.).

Fiquei pensando um pouco nisso. Lembrando daquilo. A chuva tava batendo tão bonita na minha janela... Quando olhei paro o lado tinha alguém atrapalhando a freira! Com direito a mochilada na cara e tudo mais. Mexeu-se, remexeu-se e se sentou. Não olhou pra mim. Nem percebeu que eu estava olhando. Riu alto para a mulher que o acompanhava, parada, em pé, no corredor. Riu sincero. Pra fazer aquilo, e rir ainda por cima, só podia ser louco! Só podia ser criança...

A freira olhou pra ele quando ele riu. E adivinhem? Ele desviou o olhar, tão rapidinho!
Talvez também estivesse achando que ela estava lendo seus pecados. Quem sabe.
Prefiro pensar que sim.

Prefiro pensar que o restinho do que eu fui, um dia, ainda sobrevive nos outros, já que não tem mais espaço em mim. Mesmo que esses outros sejam meros desconhecidos. Mesmo que nunca cruzem meu caminho...
Nem tudo que existe, cruza.
Mesmo que seja ilusão minha. Mesmo que seja bobagem.
Toda bobagem é bem-vinda.
No máximo, entra por um ouvido e sai pelo outro e ainda corre o risco de ser reaproveitada no futuro!

6 comentários:

Felipe Lobo disse...

Não é bom brincar com freiras! Ainda que, bem, não acredite muito em muita coisa...

Fontes disse...

Eu estudei num colégio de freiras, por isso tenho medo delas.

Quando eu era bem pequeno mesmo, pensava que elas tinham superpoderes - soltavam raio laser pelos olhos, voavam, essas coisas. E também que nunca morriam, já que todas eram velhinhas.

O que aprendi dos versos que li. disse...

Freiras cabem em filmes cantando em colinas verdes.
Não são para ônibus, calçadas ou igrejas.
Freiras são para imaginação de vó boazinha ou professora carrasaca. E, como todo esterótipo, não cabe na rotina.
Como se no lugar da freira estivesse um negão alto de terno, escuta no ouvido e óculos escuros ou uma adolescente loira vestindo rosa com bolsa de pluminhas e salto alto.
Por mais que encerremos esterótipos: a religiosa, o guarda-costas, a patricinha; não somos só isso. Não é normal. E quando vemos alguém que só represente isso, torna-se estranhamento. E um bom estranhamento torna-se uma bela crônica sobre nossos próprios esterótipos.

bjão

JG

Maria Joana disse...

A Paulinha tem uma baita blog e eu não sabia! Uau! Gostei bastante. aliás, muito muito da carta dos 18 entre outros. Hora de fzer links links. ^^

Maria Joana disse...

Ah é! Seu blog também começa com Clarice. Água-Viva. Eu leio esse livro bem aos pouquinhos.. saborear cada parte, e sempre me encontro por ali. Reli justo hoje essa parte caleidoscópica. Meu blog também tem Clarice assim, no cantinho, água-viva! ^^

egismael disse...

hahahaha paulinha do céu!!!
navegando na internet uma onda me trouxe até seu blog(sabe orkut!) e então dei umas lidas aqui, curti demais! aqui quem fala é o eduardinho! estamos acho que pegando a mesma onda, também resolvi escrever, depois da uma passada lá http://textosterona.blogsome.com ! virei fã, vou voltar aqui sempre, um beijao, boa sorte, mande noticias e continue escrevendo!