sábado, 25 de abril de 2009

Cá entre nós

Me cansei das metáforas. Das entrelinhas. Das indiretas.
Mas ao mesmo tempo sou apaixonada por elas.
Com elas crio um mistério que, muitas vezes, é mais claro que água.
Mesmo assim enigmático o suficiente pra soar gostoso.
E fico pensando em quem entendeu.
Se entendeu.
E sou mais livre.
Que pareço poder falar o que quiser que elas me protegem.
São grades que não deixam os outros entrarem.
São grades que me libertam.

Que ao mesmo tempo me viciam e me limitam.
Até quando vou precisar delas?

2 comentários:

ygor disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ygor disse...

Boa infeliz pergunta.
Até quando?