segunda-feira, 20 de abril de 2009

Condicional

É uma falta de ar. Uma falta de coragem.
E quando a coragem semeada começa a dar frutos, é alguma coisa desanimadora o suficiente, alguma coisa que mostra que nada adianta, que vai ser tudo sempre igual, pra podá-la antes do tempo.
É uma falta de ar. Uma poda de coragem.
Eu sei que você não gosta que eu escreva, ainda mais sobre você. Ou melhor, sobre o que eu (não) faço pra você. Que acha tudo só tinta num pedaço de papel. Sabe, eu não gosto também. Não é por gosto meu que exponho fraquezas, que exponho você. Nunca quis ser tão mulherzinha pra escrever, na vida. Eu que nunca fui mulherzinha na vida...
Nunca dividi dor.
Nunca expus o que me afeta ao vivo e em cores.
Tinha que vazar por algum lugar.
Mas eu sei que isso vai ter de parar. Quem sabe se eu aprender a equilibrar vida e papel, escreva só sobre coisas difíceis e que valham a pena ser escutadas, e seja uma mulherzinha de verdade fora daqui. Com dores e medos e receios e amores de carne e osso.
É um formigamento.
É um sono parcelado, cortado a cada sonho de separação.
É uma saudade. Saudade de acordar sabendo-se bem, sabendo-se junto. Sabendo-se bem por estar junto.
É um misto de vontade de ceder com raiva. Mas uma raiva incontrolável em achar que está fazendo de novo. Começando, já, aquilo que a gente faz quando tudo parece dar errado: erra de novo.
Sempre há falhas de algum lado, e sempre há alguém pra continuá-las. Falhas vingadas... Erros continuados. Isso é outra coisa que vai ter de parar.
Se minhas promessas são de tinta e papel, que sirvam de prova pra me condenar, no futuro. Não me importa.
Quero ver você precisar delas!
Quero ver eu me sentar no banco dos réus, de novo.
Nunca mais.
É uma falta de ar. Uma falta de coragem
É uma falta do ar.
Uma falta de você..

Que me põe em condicional.


"Olha, eu sei que o barco tá furado e sei que você também sabe, mas queria
te dizer pra não parar de remar, porque te ver remando me dá vontade de não
querer parar de remar também.”
[Caio Fernando Abreu]

Um comentário:

ygor disse...
Este comentário foi removido pelo autor.